quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Revendo minha última postagem me assustei: quase nove meses de diferença!
Acabei de ler o excelente livro Como vencer a inconstância, de Ricardo Gondim (Editora Vida), onde me identifiquei com quase tudo que o autor escreveu, um belo puxão de orelha para pessoas que como eu não se importam com as pequenas coisas do cotidiano que acabam se transformando em verdadeiros monstros prestes a nos engolir a qualquer momento. Espero tecer um pequeno comentário sobre essa pequena pérola em breve.

Mas o que me motivou a escrever novamente foi mais uma vez assistir algumas cenas do clássico Em Busca da Felicidade, ou À Procura da Felicidade, por aqui o filme saiu com esses dois títulos. Sem sombra de dúvida, um filmaço, um dos poucos que vejo toda vez que passa na tv.

Uma das ótimas sequências do drama é quando a esperança parece tão distante até mesmo para o personagem que interpreta o filho do protagonista, que fica desesperado ao perder seu boneco do Capitão América. P.S.: Obrigado, Pr. Henrique pela dica. O que vem depois não sai da minha cabeça: um culto onde as perspectivas são renovadas.

 

A letra dessa canção me chamou a atenção, tanto que a reproduzo abaixo:

Lord Don't Move The Mountain

Etta James

Now Lord Don't Move My Mountain
But Give Me The Strength To Climb
And Lord, Don't Take Away My Stumbling Blocks
But Lead Me All Around

Oh Lord You Don't Have To Move The Mountain
But Give Me The Strength To Climb
And Lord, Don't Take Away My Stumbling Blocks
But Lead Me All Around

Lord I Don't Bother Nobody
I Try To Treat Everybody The Same
But Everytime, I Turn My Back
They Scandalize My Name

But Oh Jesus, You Don't Have To Move My Mountain
But Give Me The Strength To Climb
And Lord Don't Take Away My Stumbling Blocks
But Lead Me All Around

Now When My Folks Would Slay Me
These Things They Will Try To Do
But Lord, Don't Touch Em
But Wiithin Their Heart
Make Em Give Their Life To You

Oh Master You Don't Have To Move My Mountain
But Give Me The Strength To Climb
And Lord, Don't Take Away My Stumbling Blocks
But Lead Me

Senhor Não Mova a Montanha

Agora, Senhor Não Mova Minha Montanha
Mas dê-me forças para subir
E Senhor, não tire meu tropeços
Mas Guia-me ao redor

Oh Senhor, Você não tem que mover a montanha
Mas dê-me forças para subir
E Senhor, não tire meu tropeços
Mas Guia-me ao redor

Senhor eu não incomodo ninguém
Tento tratar a todos a mesma maneira
Mas toda hora eu viro as costas
Eles Escandalizam Meu Nome

Mas Oh, Jesus, Você não tem que mover a montanha
Mas dê-me forças para subir
E Senhor, não tire meu tropeços
Mas Guia-me ao redor

[...]

No link abaixo há o vídeo legendado em espanhol, já que em português não encontrei, e não consegui inserir o vídeo no Blogger:

http://www.youtube.com/watch?v=inpC47M_yUg&feature=related

Tanto a melodia, quanto a letra são boas, especialmente nestes dias em que a maioria dos cristãos pedem a Deus para que remova qualquer pedrinha que aparece no caminho. A minha pergunta é: devemos pedir a Deus que remova nossa pedra ou que não mova nossa montanha? Será que o personagem principal interpretado por Will Smith teria chegado aonde chegou se ao invés de cantar SENHOR NÃO REMOVA MINHA MONTANHA, cantasse "remove a minha pedra"?

Uma conhecida certa vez falou que a mulher do personagem não deveria tê-lo abandonado. Mas eu me pergunto: será que ele conseguiria seu objetivo se ela estivesse do seu lado? Ou isso foi mais uma determinante para que ele se enchesse de mais força para conseguir o que queria? Ele enxergou possibilidades nas dificuldades, e não o fim de tudo como parecia para muitos.

Estou sendo muito chato, paranoico ou nossas canções ditas evangélicas estão cheias de erros teológicos grosseiros e/ou heresias?

Nossos louvores são reflexo da salada religiosa em que estamos envolvidos? Há teologia brasileira? Para quê serve teologia? Precisamos dela?

Se a inconstância não me atingir novamente, volto logo ao tema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário